fbpx

Cancelamento de inscrição estadual – contrabando e descaminho

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

A Secretaria de Estado da Fazenda (SEF/SC) iniciou nesta semana uma operação fiscal que visa o cancelamento de inscrições estaduais.

 

Cerca de 60 empresas que foram flagradas pela Receita Federal do Brasil comercializando mercadorias estrangeiras objeto de contrabando ou descaminho, ação que gerou o cancelamento de inscrição estadual.

O contrabando ocorre quando se importa ou exporta mercadoria proibida, o que inclui:

  • Produtos não permitidos por lei;
  • Produtos importados ou exportados clandestinamente, quando deveriam ter sido submetidos ao registro, análise ou autorização do órgão público competente;
  • Reinserção no país de mercadoria brasileira destinada à exportação.

Já o descaminho ocorre quando se sonega o tributo devido pela entrada, pela saída ou pelo consumo de mercadoria não proibida no país.

Essas práticas, consideradas crime pela lei brasileira, causam enorme prejuízo à economia nacional, à concorrência leal entre as empresas e à arrecadação de tributos, além de expor a risco a sociedade, já que, sem os devidos controles, produtos nocivos à saúde e à segurança acabam chegando ao consumidor.

Entre as atribuições da Secretaria de Estado da Fazenda, está a organização do Cadastro de Contribuintes do ICMS do Estado de Santa Catarina. Considerando que a legislação (Lei Estadual nº 17.405, de 2017, e art. 10, IV do Anexo 5 do Regulamento do ICMS) prevê o cancelamento dos registros de empresas envolvidas com produtos de origem ilícita, uma vez recebida a comunicação da Receita Federal do Brasil, é necessário que sejam seguidos os trâmites para tais cancelamentos.

O Regulamento do ICMS estabelece que a inscrição estadual é condição prévia para iniciar as atividades de produção, industrialização, comércio e prestação de serviços sujeitos ao imposto. Portanto, as empresas e respectivos sócios que tiverem seus cadastros cancelados por terem sido envolvidos com produtos de origem clandestina, estarão legalmente impedidos de atuar no mercado durante cinco anos.

Além do cancelamento de inscrições, a SEF/SC tem intensificado operações de fiscalização de mercadorias em trânsito, no sentido de coibir o transporte de cigarros e bebidas importados ilegalmente.

 

Eventuais dúvidas podem ser dirimidas na Central de Atendimento Fazendária (CAF).

 

LENAI MICHELS – Diretora de Administração Tributária

FELIPE LETSCH – Gerente de Fiscalização

 

Fonte: SEF/SC – Secretaria de Estado da Fazenda de Santa Catarina.

Leia também: Pagar juros e multa pode falir a sua empresa!

Assine a nossa Newsletter