fbpx

Entenda o que é Governança Corporativa e como aplicar na sua empresa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Governança corporativa é o sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas.

As boas práticas de governança corporativa convertem princípios básicos em recomendações objetivas, alinhando interesses com a finalidade de preservar e otimizar o valor econômico de longo prazo da organização, facilitando seu acesso a recursos e contribuindo para a qualidade da gestão da organização, sua longevidade e o bem comum.

Existem quatro princípios para base dessa estratégia, que são: equidade, prestação de contas, transparência e responsabilidade corporativa. Todas as empresas que decidem implantar essa estratégia se beneficiam muito por terem boas práticas. A organização da gestão é o primeiro passo para a tomada de decisão e isso facilita a empresa como um todo.

As boas práticas ajudam também a mitigar conflitos que são inerentes a qualquer instituição, então o valor da empresa é melhorado tanto na percepção de sócios como na dos gestores. Continue lendo o post e saiba muito mais sobre o que é Governança Corporativa.

Quais são os princípios?

Como já informado acima, são quatro, mas agora vamos conceituá-los. Vejamos:

  • equidade: é o tratamento igualitário entre todos os sócios e demais partes interessadas;
  • prestação de contas: pressupõe que os agentes da governança assumam as consequências de seus atos e omissões;
  • transparência: é algo imprescindível para criar confiança interna e externa. É um autêntico desejo de informar e que vale para fatos positivos e negativos;
  • responsabilidade: é zelar pela sustentabilidade da organização, incorporando definições de ordem social e ambiental.

As práticas de governança transformam princípios em atitudes, facilitando o acesso ao capital e contribuindo para a longevidade da empresa.

Qual a importância da Governança Corporativa?

Muitas empresas passaram por situações econômico-financeira graves, processos de recuperação judicial ou até decretaram falência, por ocultar e maquiar dados e informações, sendo contábeis ou financeiras, mas isso teve um lado positivo: fortalecer o processo implantação ou reestruturação de  Governança Corporativa nas organizações. Esse conceito surgiu na década de 80 e chegou ao Brasil nos anos 90,, como resposta aos desconfortos de acionistas insatisfeitos com métodos ineficazes e de pouca transparência, tal fato foi originado basicamente pelas empresas norte-americanas.

Foram criados os níveis de governança da Bolsa de Valores, a legislação societária mudou, o mercado de capitais amadureceu, os ativos ficaram mais acessíveis e os investidores ficaram mais confiantes.

Estudos mostram que investidores estão dispostos a pagar mais pelas ações de empresas que aplicam boas práticas.

Como implantar essa estratégia?

Uma forma de instituir esse sistema é por meio da organização da contabilidade, e seus processos operacionais de uma forma em geral. A segunda forma é pensar como estruturar a propriedade da empresa. Em geral, a recomendação é que se inicie com um Conselho Consultivo, trazendo pessoas de fora da empresa que irão ensinar como é que se faz uma Assembleia, uma Reunião de Conselho, uma ata e como se divulgam aquelas informações.

À medida que a instituição souber lidar com essa nova realidade, transforma-se o Conselho Consultivo em Conselho de Administração. E quando a empresa já estiver caminhando bem, é o momento de rever os documentos que já existem para se adequar às novas realidades do mercado e políticas econômicas e da sociedade. A revisão da política de governança é essencial.

Concluímos que é de suma importância saber o que é Governança Corporativa, pois se trata de uma estratégia que transfere mais credibilidade e confiabilidade às empresas, que atrairão mais investidores. Os princípios dessa estratégia tranquilizam os sócios e acionistas por terem transparência, que assim podem tomar decisões cabíveis quando necessitarem.

Gostou do post? Restou alguma dúvida sobre o assunto? Conte pra gente aqui nos comentários!

Assine a nossa Newsletter