Gestão financeira: como acertar no orçamento previsto e no realizado?

Contabilidade

Gestão financeira: como acertar no orçamento previsto e no realizado?

07/11/2017 - 14:55

A relação entre orçamento previsto e realizado é a essência da gestão orçamentária nas empresas, e por isso os erros não são tolerados. Gerir o orçamento é um instrumento poderoso para encabeçar estratégias, mas para ter sucesso, o caráter dinâmico desse tipo de controle financeiro precisa ser compreendido.

Planejar e lidar com o orçamento são ações dinâmicas porque exigem que se acompanhe e reveja, com frequência, o orçamento. Assim, fazer uma análise comparativa entre o que foi previsto e o que foi realizado é um ponto-chave.

Quer entender de uma vez por todas o que é preciso para acertar nessa etapa decisiva do planejamento financeiro? Veja as informações que reunimos para você!

Por que gerir o orçamento vai muito além de fazer planos?

A gestão do orçamento é um processo contínuo. Afinal, não faz sentido empenhar um grande esforço na elaboração do planejamento, considerando variantes, fazendo projeções com base no histórico e nas metas da empresa e simulando cenários possíveis se, depois, ele for abandonado, certo?

Por isso, não basta planejar: é fundamental acompanhar o orçamento e isso significa que, eventualmente, será necessário interferir com revisões que o tornem mais ajustado às necessidades da empresa.

Por que fazer o acompanhamento é essencial?

Para manter os planos, é preciso manter o controle. Logo, acompanhar o orçamento é mais do que apenas comparar o previsto com o realizado. Revisar o planejamento orçamentário é algo indispensável para aquele momento em que os planos vigentes já não fazem tanto sentido para o negócio.

Isso pode acontecer quando ocorrem mudanças na cultura organizacional, quando o cenário econômico se transforma consideravelmente ou quando a demanda dos consumidores muda, entre outros tantos fatores influenciadores.

Ações de correção do orçamento podem, também, ser necessárias para lidar com vendas aquém do esperado ou despesas a mais. As interferências no acompanhamento orçamentário são uma forma de corrigir e redirecionar as ações para que se mantenham alinhadas aos objetivos do planejamento.

Não se deve temer a revisão do orçamento, já que ela significa apenas que algumas metas devem ser reavaliadas ou mesmo que o tempo de alcance dessas metas deve ser revisto.

Como elaborar um orçamento corretamente?

O primeiro passo é garantir que o planejamento orçamentário esteja alinhado ao plano de negócios da empresa. Outro ponto importante é que o planejamento seja realista, por isso, é essencial analisar os planos em comparação ao histórico da empresa, considerando cenários possíveis ao longo do ano, para conseguir avaliar se o planejamento orçamentário faz sentido.

Um aspecto a considerar é o detalhamento sobre o qual foi elaborado o planejamento. Quando muitos detalhes são examinados, significa que o acompanhamento orçamentário exigirá métodos de controle mais eficientes que consigam fornecer esses dados. Apenas com posse dessas informações, seriam possíveis as análises comparativas.

Um planejamento muito rico em detalhes pode desestimular e até prejudicar o acompanhamento orçamentário. Por outro lado, se o planejamento é excessivamente conciso, pode ser que a empresa enfrente dificuldades para compreender o rumo dos negócios e quais decisões tomar para o futuro. O melhor é o equilíbrio, de modo que não prejudique a gestão orçamentária e não limite o caráter estratégico desse potente instrumento de gestão.

Como fazer o acompanhamento?

Quando se compara o orçamento previsto com o realizado, é comum notar que aconteceram desvios. O melhor é fazer análises comparativas frequentes com atenção e agir para impedir que o afastamento em relação aos planos venha a impactar negativamente o negócio.

Quando os desvios se dão por situações positivas, ter um orçamento organizado é o que vai garantir que não sejam perdidas as boas oportunidades, como possíveis investimentos, por exemplo.

A periodicidade mais praticada entre as empresas quanto ao acompanhamento e à revisão orçamentários é a semestral, podendo ser trimestral para algumas companhias mais dinâmicas.

Fazer um acompanhamento mensal dos resultados também permite avaliar se o fluxo financeiro corre como o previsto, minimizando surpresas e o risco de decisões precipitadas por parte dos gestores. Lembre-se que o orçamento não deve limitar o crescimento de uma empresa e, por isso, é fundamental desenvolver uma gestão orçamentária mais assertiva.

Agora que você já sabe como lidar com orçamento previsto e realizado, que tal continuar acompanhando outras dicas exclusivas? Assine nossa newsletter e seja o primeiro a receber as novidades do blog!

Grupo Meta
Somos especialistas em tornar a gestão das empresas mais ágil e segura.