fbpx

8 principais caraterísticas de um bom gestor

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on telegram
Share on email
Share on whatsapp

Você quer ser um bom gestor e não sabe exatamente o que fazer, certo?

 

Todos que se importam com esse cargo tão importante já passaram por isso. Só assim, você deu o primeiro passo para tornar-se um bom gestor!

Com as novas mudanças no mercado e os reflexos no mundo corporativo, cada vez mais é exigido um desempenho acima da média e habilidades específicas de quem decide atuar na gestão de uma empresa.

E isso não é à toa, afinal, essa atividade é fundamental para o sucesso dos planejamentos e das execuções que impactam diretamente na instituição.

Por isso, reunimos aqui 8 das principais características de um bom gestor, essas que são essenciais para você se destacar no seu cargo! Continue lendo e aprendendo:

 

1. Conseguir se automotivar

A capacidade de assumir o controle para si não é para qualquer um. É por isso que existem tantos chefes, mas tão poucos líderes. Estes últimos são referências para seus colaboradores e influenciam diretamente no comportamento da equipe.

Por isso, a motivação é umas das características mais exigidas de um bom gestor. Afinal, para que possa motivar os outros, é fundamental que o ele seja capaz de se automotivar primeiro. Caso contrário, o trabalho não trará os resultados esperados.

Um líder automotivado possui planos bem definidos e objetivos claros. Ele planeja o seu trabalho e traça a participação de todos de forma igualitária e justa, criando uma sensação de segurança extremamente construtiva no desenvolvimento pessoal e profissional de seus liderados.

 

2. Ser proativo com o trabalho e com o aprendizado

Um bom gestor não se deixa abater pelo comodismo e pela apatia. Agir apenas mediante a cobrança de um superior, buscando uma promoção ou aumento salarial — ou seja, sendo reativo — causa diversas frustrações, tanto pessoais quanto profissionais.

Um verdadeiro líder é proativo e está sempre em constante procura de novas informações e oportunidades para fazer as coisas acontecerem.

Ele é eficiente e estimula seus colaboradores a produzirem mais. Devido a sua proatividade, não se torna acomodado e quer cada vez mais novos desafios, engajar mais as pessoas e solucionar problemas.

Além disso, ele conta com ampla visão estratégica para o seu crescimento profissional e se recusa a tornar-se obsoleto. Ele investe em novos conhecimentos, em especializações e no aprofundamento do seu conhecimento, pois não quer estagnar na carreira.

 

3. Liderar: uma das grandes características de um bom gestor

Você apenas cumpre a hierarquia, sendo o supervisor da equipe e cobrando resultados, ou enxerga além dela, mobilizando seus colaboradores por um objetivo em comum? A resposta para essa simples pergunta é capaz de definir se você é ou não um bom líder.

Para os leigos, é comum separar os papéis de gestor e líder.

No mundo corporativo, porém, é indispensável que ambos sejam desempenhados concomitantemente, pois não há mais espaço para gestores sem habilidade para liderar. Isso porque liderar independe de autoridade ou de poder.

É ser capaz de persuadir e influenciar por meio de uma comunicação ativa e eficaz, ter uma argumentação consistente, clareza na exposição de ideias, sempre buscar por soluções em conjunto e instigar as pessoas ao seu redor a exporem suas potencialidades e a sentirem-se confortáveis e confiantes.

 

4. Ser capaz de dar e receber feedbacks

Todo colaborador necessita de um líder que o motive, que saiba encorajá-lo e que o estimule na busca por bons resultados. Contudo, é essencial que o gestor tenha a capacidade de dizer no que tanto a equipe quanto ele mesmo podem melhorar.

É nesse momento que o feedback se faz essencial.

Esse canal de diálogo estabelece uma excelente ferramenta de aprendizado e aprimoramento do trabalho individual e em conjunto dentro de uma empresa. Afinal, é por meio dele que você mostra ao seu colaborador como ele é percebido e avaliado dentro do mercado.

O oposto também é válido e você deve ser humilde e tolerante para ouvir comentários sobre sua gestão — que pode não ser o esperado.

Para isso, é preciso criar uma cultura dentro do ambiente de trabalho onde o feedback é recebido, não imposto.

Também é importante demonstrar ao colaborador que, quando ele tiver um retorno negativo, isso significa que seus superiores estão acompanhando suas tarefas e desempenho e que se importam com o seu desenvolvimento.

Que essa orientação serve para construir uma relação mútua de confiança e apoio a fim de promover mudanças positivas e o crescimento da empresa.

 

5. Ter maturidade profissional

O gestor deve estar comprometido com o sucesso dos seus projetos, da sua equipe e, principalmente, com os valores da empresa na qual trabalha.

Ele deve não apenas representá-los, mas também incorporá-los no dia a dia no ambiente de trabalho.

Para ter êxito nessa tarefa, no entanto, é preciso ser capaz de regular suas emoções, não cair em armadilhas emocionais ou perder a estabilidade psicológica. É fundamental demonstrar maturidade profissional.

Isso significa lidar com situações adversas, com pessoas distintas, solucionar conflitos e participar de projetos complicados.

O gestor deve possuir habilidades para enfrentar todos os desafios com sabedoria, coerência, tato e disciplina.

 

6. Gerenciar conflitos

Conflitos são comuns em um ambiente de trabalho.

No entanto, às vezes, é preciso intervir e saber mediar situações que estejam desestabilizando a equipe.

O trabalho em conjunto é fundamental para se obter êxito, e as relações interpessoais têm papel importante no equilíbrio de um ambiente harmônico.

Para ser capaz de gerenciar conflitos é preciso ser empático com seus liderados e se colocar no lugar do outro, tentando entender o seu lado e seu ponto de vista.

É importante ouvir e buscar uma solução que acabe com a insatisfação de ambas as partes conflitantes. Administrar pessoas requer um trabalho contínuo de aptidão social e equidade.

 

7. Controlar processos e pessoas

Ser um gestor eficiente é saber negociar e delegar as tarefas de forma segura, mostrando confiança e respeito pelo trabalho dos seus colaboradores, mas sem esquecer de controlar e acompanhar de perto o desenvolvimento de cada ação.

Além disso, é preciso analisar se as entregas são feitas dentro do prazo e se as devidas alterações são realizadas quando necessário.

Trata-se, portanto, de ser o agente catalisador de pessoas, planos, serviços e processos sempre em mutação — uma competência estratégica cada vez mais desejada dentro das empresas.

 

8. Ser um bom planejador, objetivo e estrategista

A função do gestor dentro de uma empresa vai muito além da admissão de novos funcionários, solução de conflitos internos ou a gestão de colaboradores com foco nos ganhos e resultados.

Ele possui um papel fundamental no planejamento e na estratégia dos negócios, funcionando como o elo entre estes e a ação.

A sua importância anda junto do bom desempenho e da lucratividade da empresa.

Um bom gestor é reconhecido por encarar o ato de planejar como algo contínuo, gradativo, flexível e responsável — ou seja, como um líder que não busca apenas o seu desempenho no futuro, mas sim no presente.

 

Se você achou difícil seguir essas dicas, não se preocupe! Todos têm seu tempo para aplicá-las. Escreva-as em um papel e cumpra-as aos poucos. Seu avanço como profissional e gestor será progressivo e real!

 

Leia também: Vantagens de treinar e desenvolver colaboradores

 

Acompanhe os conteúdos do blog do Grupo Meta e encontre informações úteis para você e seu negócio.

Assine a nossa Newsletter