Como funciona a orientação profissional? | Blog

RH/Terceirização

Como funciona a orientação profissional?

por Grupo Meta • 14/01/2016 • 11:06

Como funciona a orientação profissional?Escolher uma profissão é uma tarefa importantíssima, mas também pode ser assustadora! Quando chega a hora do vestibular, muitos jovens ainda não têm a menor ideia do que querem; há aqueles que ficam na dúvida entre muitos cursos e outros já não se identificam com nenhum.

É importante que o jovem não se sinta pressionado neste momento. Ao contrário: ele precisa de suporte e de paciência, visto que nem todo mundo possui uma carreira dos sonhos.

Para facilitar essa escolha, existe a orientação profissional. Baseada em questões que levam à reflexão e ao autoconhecimento, ela ajuda o adolescente a escolher a sua vocação, fazendo com que ele descubra seus interesses e suas motivações.

Identifica-se com este tema e quer saber mais sobre a orientação profissional? O post de hoje foi feito para você. Confira!

1- Vantagens da orientação profissional

Devemos lembrar que a escolha de uma profissão não acontece facilmente e não é um processo isolado, mas relacionado ao lado emocional do jovem, a fatores sociais e familiares. Muitas vezes, isso pode trazer preocupação. É aí que a orientação profissional ajudará o jovem a descobrir a sua identidade, aprofundando o seu conhecimento acerca de uma profissão, como mercado de trabalho, áreas em que pode atuar, salário e dia a dia de um profissional.

Também vale lembrar que muitas pessoas abandonam o curso que escolheram logo no primeiro ano de faculdade! Então, quem optou pela orientação profissional no ensino médio, por exemplo, tem mais chances de ser bem-sucedido na faculdade e não ter esse tipo de dúvida depois.

2- Metodologia utilizada

São realizados encontros individuais e coletivos semanais, nos quais o profissional conversa com o jovem, utiliza questionários, testes de aptidão e dinâmicas. Enfim, várias estratégias que criem condições para o adolescente se conhecer, esclarecer suas dúvidas e estabelecer objetivos para o seu futuro. Além de desenvolver maturidade para lidar com os obstáculos e descobrir o que mais gosta de fazer!

3- O momento certo

Não deixe nada para a última hora! É importante que o adolescente comece a entrar em contato com a escolha profissional assim que entrar no ensino médio. Isso irá prepará-lo e fará com que ele não sofra tanto com o estresse, devido às dúvidas causadas pela época do vestibular.

Mesmo que o jovem já tenha uma carreira preferida a seguir, é importante que ele tenha uma assistência para evitar que haja uma grande idealização de carreira perfeita. Provavelmente, em seguida, uma desilusão perante as dificuldades enfrentadas em qualquer profissão.

4- Importância da família neste processo

Sabemos que a escolha profissional dos adolescentes, muitas vezes, pode ser guiada pela carreira dos pais. Há também, aquela pressão familiar exercida, mesmo que de forma inconsciente, quando os pais já presumem que seus filhos seguirão na mesma área que eles ou quando pressionam muito o jovem a decidir imediatamente por um curso.

Se você for pai e tiver um filho indeciso em relação à escolha profissional, conscientize-se sobre como é importante apoiá-lo nessa hora e aconselhá-lo sobre a orientação profissional, ajudando-o a construir autonomia. Caso você seja um adolescente e tenha se identificado, então você pode pedir para que o profissional responsável inclua seus pais em algum momento dos encontros para que haja um diálogo entre vocês.

Este post lhe foi útil? Acesse agora o nosso site e confira outras novidades sobre o mercado de trabalho!

Artigos relacionados

Newsletter

Receba dicas e as novidades do mercado para ganhar muito mais tempo e eficiência nas operações da empresa! Preencha seus dados e assine nossa newsletter:



Quando se fala em melhorias dentro de uma organização, é comum que primeiro se pense em reformar ou trocar o ambiente, comprar novos equipamentos ou ainda, aumentar a produtividade e gerar mais empregos. São poucas as empresas, porém, que entendem a importância de aperfeiçoar o pessoal interno.

Voltar os olhos para dentro da própria equipe e enxergar o potencial que essa representa, pode beneficiar a empresa tanto em níveis de mercado, como também no conceito que ela representa para os funcionários e clientes.

Treinar e desenvolver os colaboradores, consiste em aprimorar ou descobrir habilidades e competências nesses, que podem ser úteis dentro da empresa, em atividades ou cargos. Apesar de serem voltados para o mesmo público, há características que diferenciam os métodos:

 

Treinamento: capacita o colaborador para exercer a função que lhe foi designada. O treinamento tem a função de ressaltar habilidades técnicas e emocionais, como a criatividade, inovação e agilidade na resolução de problemas.

 

Desenvolvimento: qualifica o funcionário ou a equipe, para ocupar uma posição dentro de um futuro projeto. A capacitação é a longo prazo, ocorrendo através de etapas que concedem ao colaborador conhecimento teórico, habilidades técnicas e práticas, tal como novas competências, deixando o colaborador totalmente preparado para a nova função.

 

Treinar e desenvolver pessoal dentro da empresa, é vantajoso tanto para a organização quanto para os colaboradores. Além de agilizar o processo com funcionários já experientes e engajados, motiva-os a aproveitar o investimento pessoal e profissional, trazendo ainda mais resultados para a empresa.

 

Se você tem o papel de gestor dentro de uma empresa, esse conteúdo é para você: 8 principais caraterísticas de um bom gestor.

Quando se fala em melhorias dentro de uma organização, é comum que primeiro se pense em reformar ou trocar o ambiente, comprar novos equipamentos ou ainda, aumentar a produtividade e gerar mais empregos. São poucas as empresas, porém, que entendem a importância de aperfeiçoar o pessoal interno.

Voltar os olhos para dentro da própria equipe e enxergar o potencial que essa representa, pode beneficiar a empresa tanto em níveis de mercado, como também no conceito que ela representa para os funcionários e clientes.

Treinar e desenvolver os colaboradores, consiste em aprimorar ou descobrir habilidades e competências nesses, que podem ser úteis dentro da empresa, em atividades ou cargos. Apesar de serem voltados para o mesmo público, há características que diferenciam os métodos:

 

Treinamento: capacita o colaborador para exercer a função que lhe foi designada. O treinamento tem a função de ressaltar habilidades técnicas e emocionais, como a criatividade, inovação e agilidade na resolução de problemas.

 

Desenvolvimento: qualifica o funcionário ou a equipe, para ocupar uma posição dentro de um futuro projeto. A capacitação é a longo prazo, ocorrendo através de etapas que concedem ao colaborador conhecimento teórico, habilidades técnicas e práticas, tal como novas competências, deixando o colaborador totalmente preparado para a nova função.

 

Treinar e desenvolver pessoal dentro da empresa, é vantajoso tanto para a organização quanto para os colaboradores. Além de agilizar o processo com funcionários já experientes e engajados, motiva-os a aproveitar o investimento pessoal e profissional, trazendo ainda mais resultados para a empresa.

 

Se você tem o papel de gestor dentro de uma empresa, esse conteúdo é para você: 8 principais caraterísticas de um bom gestor.