RH/Terceirização

Confira as principais etapas do processo de orientação profissional

por Grupo Meta • 15/02/2017 • 14:27

sem-titulo

Contar com uma orientação profissional traz bons resultados não apenas para quem busca esse tipo de aconselhamento, mas também para o mercado de trabalho. Afinal, as empresas contarão com profissionais mais competentes, satisfeitos e aptos a exercerem suas tarefas na prática.

Um processo como esse pode ser procurado tanto por jovens, que estão no momento de escolher uma profissão, quanto por profissionais que estejam insatisfeitos com seus empregos atuais ou que simplesmente desejam redefinir o percurso de suas carreiras.

Não sabe como é realizada a orientação profissional? Entenda mais sobre o assunto no post de hoje e entenda por que este pode ser um passo decisivo na sua carreira!

Como é realizada a orientação profissional?

Existem diferentes estratégias e instrumentos de avaliação que são utilizados em processos de orientação profissional. No geral, o processo é composto por atividades estratégicas e interativas, como dinâmicas, testes, entrevistas e questionários. Basicamente, o procedimento se baseia na constituição de um perfil com as características do avaliado que foram, anteriormente, levantadas por um psicólogo.

A partir dessas características, ambos podem pensar, juntos, em formas de superar os obstáculos atuais e equilibrar personalidade, habilidades, desejos, metas e expectativas na escolha profissional.

Há quem acredite que a orientação profissional é um gasto, mas isso é um equívoco. O valor disponibilizado para uma boa avaliação pode ser muito baixo em comparação ao tempo e ao dinheiro que podem ser desperdiçados em uma escolha inadequada.

Quais são as principais etapas do processo?

Existem diversas metodologias no mercado, mas hoje vamos falar especificamente do processo de orientação profissional dividido em 4 encontros básicos. Vamos a eles?


1º encontro

No primeiro encontro, todo o processo a ser desenvolvido será mapeado para o avaliado. É nesse momento também que se inicia o entendimento das maneiras de refletir e de fazer escolhas por meio da identificação dos critérios, dos sentimentos nos momentos de tomada de decisão e do levantamento de facilidades e dificuldades do avaliado.

Esse primeiro passo é essencial para a compreensão da personalidade do indivíduo, e estabelecerá a base de todas as etapas que virão a seguir.

2º encontro

Mais técnico, o segundo encontro é voltado para o autoconhecimento. Nele, são aplicadas diversas avaliações para que o avaliador possa ter mais referências à sua disposição — e, principalmente, para que o próprio avaliado consiga se sentir mais seguro em relação às suas escolhas.

Uma pessoa que está mais atenta às suas próprias competências e limitações e que consegue estabelecer, com precisão, seus objetivos pessoais e profissionais, têm muito mais chances de não se arrepender de suas escolhas posteriormente.

3º encontro

No terceiro encontro, é realizada uma entrevista com a intenção de conhecer mais profundamente os gostos do avaliado e seus objetivos com a escolha da profissão. Eles podem ser muito diversos, mas no geral estão relacionados à autorrealização, ao retorno financeiro, ao status social ou ao reconhecimento, entre outras possibilidades que cada um considera importantes.

Nessa etapa, o avaliado também avança no entendimento de seus talentos, suas habilidades e suas aptidões, acrescentando novos conhecimentos a seu processo de autocompreensão.

4º encontro

O quarto encontro é o momento final de todo o processo de orientação profissional. É nele que o profissional responsável pela orientação compartilha com o avaliado os resultados que foram alcançados durante todas as etapas até aqui.

Resumindo, uma orientação desse tipo só se torna realmente efetiva e útil quando se atinge 3 objetivos principais: 1) propiciar que o avaliado avance em termos de autoconhecimento; 2) levantar questões importantes sobre o mundo profissional e 3) instruir uma tomada de decisão do indivíduo.

Vale lembrar, entretanto, que ainda que a orientação profissional dê um embasamento muito sólido para as escolhas, é importante entender que ela não serve para oferecer uma resposta definitiva. O autoconhecimento está na base de todo o processo de orientação para que, com a ajuda do profissional, o avaliado tenha a capacidade de tomar suas próprias decisões.

Antes de tomar qualquer decisão, é importante também examinar diferentes possibilidades de carreira, fazer entrevistas para buscar informações mais aprofundadas e conversar com profissionais da área desejada. Com isso, haverá  condições de fazer uma escolha consciente e segura, baseada na construção que foi feita de seu projeto pessoal e profissional.

E você, está com dificuldade para definir seu rumo profissional ou conhece alguém que esteja passando por esse desafio? Que tal começar se informando um pouco mais sobre o assunto? Baixe gratuitamente nosso Guia para fazer uma escolha consciente da carreira e veja o que você precisa saber para tomar a melhor decisão!

 

cta_e-book_guia_completo_escolha_de_carreira

Artigos relacionados

Newsletter

Receba dicas e as novidades do mercado para ganhar muito mais tempo e eficiência nas operações da empresa! Preencha seus dados e assine nossa newsletter: