Gestão empresarial: 4 tendências para seguir | Blog

RH/Terceirização

Gestão empresarial: 4 tendências para seguir

por Grupo Meta • 21/07/2016 • 09:17

4 tendências em gestão empresarial para seguirO momento atual da economia brasileira impõe restrições e dificuldades ao crescimento empresarial. Os pontos que têm sido comentados, há mais de uma década, são a alta carga tributária, os expressivos encargos trabalhistas, a falta de investimento em infraestrutura e a escassez de mão de obra qualificada. Por esses fatores descritos a gestão empresarial exige uma atenção redobrada pelos empresários brasileiros. As tendências a seguir envolvem flexibilidade, rapidez e atenção no mercado.

A gestão empresarial integrada

Não é mais possível se planejar e definir metas departamentais em uma organização, pois não é mais suficiente. Elas só irão agregar valor se estiverem engajadas com o todo organizacional, ou seja, numa gestão integrada: uma visão do todo e não fragmentada. A competição aumenta a cada ano e se a empresa não demonstrar para o que veio, engajada com as tendências do mercado e ligada na inovação, acabará perdendo posição no mercado.

A qualificação da mão de obra

A educação é um fator que persegue o Brasil há muitas décadas, principalmente após a Segunda Guerra Mundial, que foi um período de grande evolução tecnológica. A década de 60 foi um período de grande evolução, mas ficamos para trás em termos industriais e continuamos a ter o setor primário em grande foco. Diante desses fatos as empresas começaram a criar universidades corporativas ou cursos em EAD para seus funcionários com o objetivo de criar uma equipe com mais competências e engajados com as tendências mercadológicas.   

A rede wireless e os dispositivos móveis

A internet sem fio e os dispositivos móveis revolucionaram as formas de trabalhar e se comunicar. A mobilidade é um fator importante, pois encontrar as pessoas onde elas estiverem é um ganho de valor considerável. Agiliza os processos empresariais e proporciona um ganho de tempo e desenvolvimento de projetos como o caso da videoconferência. As empresas obtiveram resultados como a acessibilidade, agilidade, confiabilidade, interatividade e sociabilidade. A tecnologia é um dos fatores fundamentais para o desenvolvimento empresarial.

Os sistemas integrados de gestão (ERPs)

A integralidade da gestão empresarial só é possível mediante um sistema de gestão empresarial. O ERP deve ter as funcionalidades necessárias para os processos corporativos e estar ajustado com as inovações tecnológicas para manter uma empresa competitiva nesse mercado ágil e volátil. As mudanças ocorrem com frequência, pois nada é estável.

O cloud computing é uma solução que tem sido usado por muitas empresas. Essa tecnologia inclui ferramentas de backup, rede local privada, firewall virtual, monitoramento de desempenho e interface de programação (API). Todas essas soluções podem fornecer às empresas um conforto e segurança integralizando os dispositivos móveis.

Não há dúvidas de que o mercado do século XXI é voraz e não deixa muitas margens a erros. Uma grande ajuda da tecnologia é a gestão integralizada em conjunto com o sistema de gestão empresarial. Os dispositivos móveis auxiliarão bastante na gestão empresarial, pois a comunicação, que é um fator fundamental em uma organização, se tornou possível em tempo integral. A especialização da mão de obra tornou os funcionários mais preparados e com a criação do plano de carreiras foi possível reter talentos que podem fazer o diferencial competitivo na gestão empresarial.

Esperamos que o post lhe ajude a se enquadrar nas tendências desse mercado globalizado e altamente competitivo! Até a próxima!

Artigos relacionados

Newsletter

Receba dicas e as novidades do mercado para ganhar muito mais tempo e eficiência nas operações da empresa! Preencha seus dados e assine nossa newsletter:



É comum ficar confuso quanto ao percurso de uma entrevista no processo seletivo, assim como quanto ao conhecimento prévio das características requisitadas para a vaga.

O avaliador, porém, tem o objetivo de conhecer o perfil dos entrevistados e, com isso, filtrar os qualificados para a vaga proposta. Portanto, algumas questões regularmente levantadas são: a formação acadêmica, a experiência técnica e a comunicação. Abaixo, explicamos cada um dos requisitos:

 

Formação Acadêmica: Ter formação na área específica do cargo garante vantagem ao entrevistado, já que esses profissionais tem maior probabilidade de terem um maior aproveitamento e competência na atuação da vaga.

Certifique-se, então, que as informações sobre formação acadêmica estejam atualizadas no currículo, contendo nome do curso, nome da instituição e período da realização. É fundamental ressaltar os cursos por ordem de importância, para que os mais relevantes apareçam com maior destaque no currículo.

 

Experiência Técnica: Ao elaborar o currículo é importante ressaltar as experiências profissionais alinhadas ao objetivo, demonstrando qualificação para ocupar o cargo de interesse. Descreva as principais atividades realizadas nas empresas anteriores.

A experiência técnica geralmente é vista como principal item avaliado para a contratação, isso porque, para as empresas, é interessante que o profissional já ingresse apresentando resultados. Além disso, contratar um funcionário com vivência na área, economiza tempo e elimina problemas na duração do contrato.

Não deixe de colocar as datas de entrada e de saída da empresa.

 

Comunicação: É importante expor ao selecionador de forma clara e verídica, as experiências e projetos dos quais você fez parte, fornecendo informações que darão ao selecionador uma ampla base para a análise do perfil.

 

Esses são os métodos base, frequentemente utilizados pelos profissionais, como forma de buscar candidatos alinhados aos cargos.

Com os melhores avaliadores, encontramos os melhores talentos. Encontre outras dicas em nosso blog.

É comum ficar confuso quanto ao percurso de uma entrevista no processo seletivo, assim como quanto ao conhecimento prévio das características requisitadas para a vaga.

O avaliador, porém, tem o objetivo de conhecer o perfil dos entrevistados e, com isso, filtrar os qualificados para a vaga proposta. Portanto, algumas questões regularmente levantadas são: a formação acadêmica, a experiência técnica e a comunicação. Abaixo, explicamos cada um dos requisitos:

 

Formação Acadêmica: Ter formação na área específica do cargo garante vantagem ao entrevistado, já que esses profissionais tem maior probabilidade de terem um maior aproveitamento e competência na atuação da vaga.

Certifique-se, então, que as informações sobre formação acadêmica estejam atualizadas no currículo, contendo nome do curso, nome da instituição e período da realização. É fundamental ressaltar os cursos por ordem de importância, para que os mais relevantes apareçam com maior destaque no currículo.

 

Experiência Técnica: Ao elaborar o currículo é importante ressaltar as experiências profissionais alinhadas ao objetivo, demonstrando qualificação para ocupar o cargo de interesse. Descreva as principais atividades realizadas nas empresas anteriores.

A experiência técnica geralmente é vista como principal item avaliado para a contratação, isso porque, para as empresas, é interessante que o profissional já ingresse apresentando resultados. Além disso, contratar um funcionário com vivência na área, economiza tempo e elimina problemas na duração do contrato.

Não deixe de colocar as datas de entrada e de saída da empresa.

 

Comunicação: É importante expor ao selecionador de forma clara e verídica, as experiências e projetos dos quais você fez parte, fornecendo informações que darão ao selecionador uma ampla base para a análise do perfil.

 

Esses são os métodos base, frequentemente utilizados pelos profissionais, como forma de buscar candidatos alinhados aos cargos.

Com os melhores avaliadores, encontramos os melhores talentos. Encontre outras dicas em nosso blog.