Liderança: conheça os principais erros de um líder | Blog

RH/Terceirização

Liderança: conheça os principais erros de um líder

por Grupo Meta • 04/08/2016 • 10:13

Liderança: conheça os principais erros de um líderErrar é humano. Mas, quando se trata de liderança, é preciso se empenhar mais e mais para evitar falhas que possam comprometer o seu negócio. Para te ajudar, listamos os 6 principais erros de um líder e explicamos como evitá-los. Confira!

Não apresentar feedbacks

Deixar de fornecer feedbacks sobre o desempenho dos profissionais é um dos erros que mais geram impacto no bom funcionamento de um negócio.

Quando um colaborador não sabe se o que está fazendo é considerado bom ou ruim, dificilmente mudará sua forma de atuação. Pelo fato de não possuir os estímulos para melhorar e não conhecer seus pontos fracos para corrigir, esse profissional pode permanecer estagnado em sua posição e se tornar improdutivo para a empresa.

Não delegar nem assumir tarefas

Muitos líderes se vangloriam pelas conquistas, mas são incapazes de assumir responsabilidades diante de resultados negativos. Assim como não assumir responsabilidades, não delegar tarefas para membros da equipe demonstra um problema grave de falta de confiança.

Ao delegar funções de maneira equilibrada para a sua equipe, além de otimizar o tempo, você pode descobrir habilidades até então desconhecidas em cada um dos seus colaboradores e ganhar espaço para cuidar de coisas mais importantes para o seu negócio.

Não personalizar a sua forma de gestão

Cada colaborador possui habilidades, objetivos e formas de atuação únicas. Isso é o que diferencia cada membro do que forma um time campeão. Ao assumir a função de líder, é preciso deixar de enxergar a toda a equipe de forma generalizada e personalizar a sua forma de gestão.

Adquira como hábito diário ter uma reunião com os seus colaboradores, como forma de orientar cada um deles de acordo com as suas necessidades e objetivos, assim como reconhecer os seus avanços. Essa postura te ajudará a obter o máximo da sua equipe e, de quebra, estimular a produtividade e a satisfação pessoal de cada membro.

Não separar relação pessoal e profissional

Muitos líderes, principalmente de empresas com perfil mais jovem, encontram muita dificuldade em estabelecer uma relação ideal com os seus colaboradores. Mesmo com uma boa intenção, o seu intuito de parecer simpático e acessível pode criar problemas de relacionamento com a sua equipe.

Seja um líder amigável, mas evite misturar demais a sua relação profissional com a pessoal. Criar um equilíbrio entre ser um amigo e um gestor te ajudará a controlar melhor a produção, a exigir resultados sem parecer grosseiro e a tomar decisões difíceis em relação ao seu pessoal, quando chegar a hora.

Não ser um modelo para a sua equipe

Todas as pessoas possuem alguma inspiração profissional para atuar da forma que atuam. Esse modelo, na maioria das vezes, vem idealizado na figura da autoridade mais próxima, ou seja: você.

Então, não adianta exigir rapidez e produtividade do seu time, se você é incapaz de cumprir prazos; pedir que eles se qualifiquem, se você está estagnado desde a conclusão da graduação; exigir que cheguem no horário, se você está sempre atrasado; ou esperar uma postura mais profissional, se você mesmo vive resolvendo demandas pessoais no horário de trabalho.

Um gestor precisa moldar o seu próprio comportamento, antes de fazer o mesmo com a sua equipe. Adotar uma atitude positiva, demonstrar confiança para correr riscos, acompanhar com afinco cada etapa de trabalho, mesmo que demandem maior esforço, são atitudes que te tornarão um verdadeiro líder. E a sua equipe reconhecerá isso.

Ser apenas um chefe, e não um líder

É muito comum confundir a função de liderança com a de chefia. Um chefe é o profissional que se utiliza do seu cargo apenas para impôr as suas vontades. A palavra “coworking” não existe no seu dicionário. Para ele não há um time que trabalha junto para crescer, e sim, subordinados destinados a acatar a sua opinião.

A melhor maneira para ser um verdadeiro líder é influenciar, estimular e engajar pessoas. Fazer com que seus colaboradores se sintam valorizados e integrados em todos os setores do seu negócio, os ajudará a impulsionar a vontade de criar e inovar. E isso também ajudará você a crescer.

E você, reconhece outros erros de um líder que podem comprometer o seu negócio? Compartilhe!

CTA Segredos da Gestão de RH

Artigos relacionados

Newsletter

Receba dicas e as novidades do mercado para ganhar muito mais tempo e eficiência nas operações da empresa! Preencha seus dados e assine nossa newsletter:



É comum ficar confuso quanto ao percurso de uma entrevista no processo seletivo, assim como quanto ao conhecimento prévio das características requisitadas para a vaga.

O avaliador, porém, tem o objetivo de conhecer o perfil dos entrevistados e, com isso, filtrar os qualificados para a vaga proposta. Portanto, algumas questões regularmente levantadas são: a formação acadêmica, a experiência técnica e a comunicação. Abaixo, explicamos cada um dos requisitos:

 

Formação Acadêmica: Ter formação na área específica do cargo garante vantagem ao entrevistado, já que esses profissionais tem maior probabilidade de terem um maior aproveitamento e competência na atuação da vaga.

Certifique-se, então, que as informações sobre formação acadêmica estejam atualizadas no currículo, contendo nome do curso, nome da instituição e período da realização. É fundamental ressaltar os cursos por ordem de importância, para que os mais relevantes apareçam com maior destaque no currículo.

 

Experiência Técnica: Ao elaborar o currículo é importante ressaltar as experiências profissionais alinhadas ao objetivo, demonstrando qualificação para ocupar o cargo de interesse. Descreva as principais atividades realizadas nas empresas anteriores.

A experiência técnica geralmente é vista como principal item avaliado para a contratação, isso porque, para as empresas, é interessante que o profissional já ingresse apresentando resultados. Além disso, contratar um funcionário com vivência na área, economiza tempo e elimina problemas na duração do contrato.

Não deixe de colocar as datas de entrada e de saída da empresa.

 

Comunicação: É importante expor ao selecionador de forma clara e verídica, as experiências e projetos dos quais você fez parte, fornecendo informações que darão ao selecionador uma ampla base para a análise do perfil.

 

Esses são os métodos base, frequentemente utilizados pelos profissionais, como forma de buscar candidatos alinhados aos cargos.

Com os melhores avaliadores, encontramos os melhores talentos. Encontre outras dicas em nosso blog.

É comum ficar confuso quanto ao percurso de uma entrevista no processo seletivo, assim como quanto ao conhecimento prévio das características requisitadas para a vaga.

O avaliador, porém, tem o objetivo de conhecer o perfil dos entrevistados e, com isso, filtrar os qualificados para a vaga proposta. Portanto, algumas questões regularmente levantadas são: a formação acadêmica, a experiência técnica e a comunicação. Abaixo, explicamos cada um dos requisitos:

 

Formação Acadêmica: Ter formação na área específica do cargo garante vantagem ao entrevistado, já que esses profissionais tem maior probabilidade de terem um maior aproveitamento e competência na atuação da vaga.

Certifique-se, então, que as informações sobre formação acadêmica estejam atualizadas no currículo, contendo nome do curso, nome da instituição e período da realização. É fundamental ressaltar os cursos por ordem de importância, para que os mais relevantes apareçam com maior destaque no currículo.

 

Experiência Técnica: Ao elaborar o currículo é importante ressaltar as experiências profissionais alinhadas ao objetivo, demonstrando qualificação para ocupar o cargo de interesse. Descreva as principais atividades realizadas nas empresas anteriores.

A experiência técnica geralmente é vista como principal item avaliado para a contratação, isso porque, para as empresas, é interessante que o profissional já ingresse apresentando resultados. Além disso, contratar um funcionário com vivência na área, economiza tempo e elimina problemas na duração do contrato.

Não deixe de colocar as datas de entrada e de saída da empresa.

 

Comunicação: É importante expor ao selecionador de forma clara e verídica, as experiências e projetos dos quais você fez parte, fornecendo informações que darão ao selecionador uma ampla base para a análise do perfil.

 

Esses são os métodos base, frequentemente utilizados pelos profissionais, como forma de buscar candidatos alinhados aos cargos.

Com os melhores avaliadores, encontramos os melhores talentos. Encontre outras dicas em nosso blog.