8 qualidades que o gerente de Recursos Humanos deve ter | Blog

RH/Terceirização

8 qualidades que o gerente de Recursos Humanos deve ter

por Grupo Meta • 02/01/2017 • 10:40

O gerente de Recursos Humanos é essencial no crescimento e no desenvolvimento de inúmeras organizações. A atuação interna do profissional de RH junto aos colaboradores da empresa tem sido ampliada cada vez mais: o trabalho é desenvolvido a partir de estratégias que impulsionam o bem-estar das pessoas, a qualidade do trabalho e o desenvolvimento corporativo.

Por não saberem ao certo quais são as qualidades essenciais que um gestor deve apresentar para influenciar as mudanças esperadas no ambiente de trabalho, muitos profissionais demonstram dúvidas ao investir nessa carreira tão promissora e com inúmeras possibilidades de atuação.

No post de hoje, reunimos as 8 principais características que mais se destacam em um bom gerente de RH. Acompanhe!

1. Conhecimento e experiência em Recursos Humanos

Um bom gerente deve possuir conhecimento sobre funções e aplicações da sua área no ambiente corporativo que vai muito além do básico. Além disso, ele precisa agregar o seu conhecimento ao ambiente onde está inserido.

É por meio do investimento constante em sua própria educação, em especializações e na busca por informação que o profissional não se torna obsoleto. O mesmo vale para a sua experiência em lidar com os desafios diários que surgem na organização.

Se o profissional não tem capacidade técnica e não gere o seu conhecimento para o seu crescimento, ele tende a estagnar e não atingir o sucesso que almeja. Portanto, busque se atualizar e reciclar velhos conceitos.

Troque experiências com outros profissionais, participe de workshops e eventos sobre Recursos Humanos e invista na sua capacitação diariamente, para que você seja capaz de resolver qualquer situação extraindo o melhor das suas habilidades.

2. Comprometimento profissional

É essencial que o gerente se comprometa profissionalmente com a equipe e com os objetivos organizacionais da empresa. Ele deve servir como um espelho no qual sua equipe encontra inspiração para crescer e se destacar mais.

O profissional tem que dar o exemplo e ser uma influência positiva no ambiente de trabalho. Um comportamento negativo e displicente reflete nos colaboradores, causando um retrocesso geral que, inclusive, chegará também ao cliente e impactará o balanço final da empresa, podendo atingir a reputação e a imagem dela.

3. Acessibilidade

O Departamento de Recursos Humanos lida diariamente com diversos funcionários e os seus mais variados aspectos pessoais. Devido a isso, é essencial que perdure uma política de portas abertas para todos. Um ambiente profissional mais inclusivo é necessário e deve ser parte constante da sua proposta dentro da empresa.

O gerente de RH deve abdicar de uma postura paternalista e assumir o papel de conhecedor dos profissionais que fazem parte da organização. O objetivo é auxiliá-los e estimulá-los a atingir seus verdadeiros potenciais, gerando melhores resultados.

Tornando o seu setor mais acessível, será possível indicar as necessidades individuais e eventuais recomendações do quadro de colaboradores acerca do ambiente de trabalho, além de apontar soluções para sanar possíveis insatisfações.

4. Delegar tarefas

Aprender a delegar funções é uma das características mais importantes para a gestão de Recursos Humanos. Essa prática faz com que o gestor tenha mais tempo para priorizar ações e projetos dentro da instituição, abrindo mão de determinadas atividades, distribuindo-as entre sua equipe e estimulando a autonomia e a confiança nos colaboradores.

Outra maneira de incitar a participação da equipe é ceder quando notar que seus colaboradores estão oferecendo contribuições positivas e mais válidas do que as suas para o sucesso em grupo. Manter-se intransigente e inflexível em suas próprias opiniões e estratégias é um erro que deve ser evitado. Afinal, o gerente de RH não deve ser temido, mas sim respeitado.

5. Ética e o gerente de Recursos Humanos

Em uma analogia, é possível comparar o departamento de RH com a consciência da instituição. Por esse motivo, a ética não pode ser apenas um mero discurso: ela deve ser vivida na prática por você, que vai intermediar o diálogo entre setores diferentes e profissionais distintos.

Adotar uma conduta ética e equilibrada no ambiente de trabalho é fundamental. Deve-se seguir a postura adotada pela organização, visando harmonizar as relações interpessoais e como a empresa se relaciona com o cliente. É preciso conciliar os conflitos que possam ser causados por valores organizacionais X valores pessoais, galgando uma contínua mudança de cultura e de atitude.

6. Disciplina e organização

A organização é outra característica importante para o profissional de RH, pois está intimamente ligada à capacidade de se autodisciplinar. Quando você organiza a sua rotina de trabalho — seja com admissões, demissões ou estratégias de recrutamento — de forma metódica, é capaz de implementar seus objetivos com clareza e foco, adotando uma postura multitarefa.

Esse comportamento é fruto da sua habilidade de gerenciar o tempo, cumprir prazos e realizar obrigações diferentes que atendam aos empregados e empregadores.

7. Gerenciar o tempo

Como você viu anteriormente, a capacidade de gerenciar o tempo está intrinsecamente ligada à sua organização diária. Um gerente eficaz planeja seu dia de forma a encaixar não apenas as suas atividades diárias, mas também questões de última hora e possíveis imprevistos.

É comum chegarem à gerência do RH prazos curtos e constantes demandas envolvendo problemas com os colaboradores, fazendo com que você abra mão do que está fazendo naquele exato momento para gerir essas situações.

Por isso, administrar o seu tempo com sabedoria é fundamental. Evite distrações, organize seu ambiente de trabalho e faça uma lista de prioridades com as suas obrigações mais urgentes, determinando também o tempo que será gasto em cada uma e otimizando o seu dia.

8. Liderança

Um comportamento muito comum dos colaboradores é olhar para o departamento de RH buscando por respostas e uma liderança representativa. Aprender a conviver e a corresponder a essa percepção da maneira correta é essencial para não ocasionar mal-entendidos e criar uma cultura de fiscalização e cobrança.

Um bom líder mobiliza pessoas e possui uma habilidade de comunicação assertiva, sabendo organizar e transformar os conhecimentos, recursos e esforços da equipe em resultados para os colaboradores e para a empresa.

Ser um bom gerente implica em representar uma liderança que busca não apenas o lucro para a organização, mas também um esforço conjunto para melhoras efetivas dentro do ambiente de trabalho, além de criar harmonia e consistência na imagem e na reputação da instituição.

Ao longo desse texto, você conferiu as principais características de um bom gerente de Recursos Humanos. Elas se refletem diretamente na procura e na demanda de profissionais da área. Por isso, invista na sua capacitação e alavanque a sua carreira.

Gostou deste texto? Aproveite para compartilhá-lo em suas redes sociais e ajude outras pessoas a refletirem sobre suas posturas enquanto profissionais de RH!

CTA folha de pagamento

Artigos relacionados

Newsletter

Receba dicas e as novidades do mercado para ganhar muito mais tempo e eficiência nas operações da empresa! Preencha seus dados e assine nossa newsletter: